domingo, outubro 22, 2006

Imitadores


Escrevi há pouco, no meu outro blog,que os pássaros não posam para foto. A beleza real não está aí para ser copiada, retida num papel ou num arquivo da Web.

E vejo pássaros engaiolados, exemplo inconteste da nossa ação predadora, alimentada pela obstinação de prender o que é belo.

Imitadores da arte, recriamos. Pincelamos com nossos anseios, dúvidas, angústias, medo, busca do prazer, o arco-íris artificial enlatado. O artista é o pincel dele mesmo.

Quando quase completos diante da exposição emotiva, continuamos desdenhando. Hoje, eu sei que ao tentar retratar no texto, o que considero trabalho plausível, estou mais uma vez, embotando a riqueza do verso.

Imitadora, persigo insistentemente surpreender, ser agradável. Enquanto isso, continuo desdenhando da lei natural da vida. Da beleza que somos.

De onde veio tal inspiração, mesmo? Pode perguntar. É só mais um domingo, de silêncio na casa, embora curto, voluptuosamente curtido, apesar do barulho, levemente filtrado de uma mente, que já foi ensandecida pela vaidade de escrever.

A propósito, como isso me atrapalhou!
Postar um comentário

Obrigada pela visita

Espero seu retorno