quarta-feira, outubro 04, 2006

O que será da música brasileira?


Esta pergunta tenho feito com insistência e, ao mesmo tempo, fico me cobrando por não estar acompanhando os avanços(?). Pra falar francamente, nem tenho mais rádio. Fico fuçando na Internet, quando o tempo permite.

De certa forma, desisti de acompanhar a programação que se oferece atualmente. Há cerca de cinco anos, o prazer de ouvir o meio de que tanto gosto, se tornou raro. Só quem me salva do desinteresse é a AM do Povo, que apesar de "engolida" pela CBN, tem um dos maiores comunicadores do país, Nonato Albuquerque.

Também me afastei do meio musical, ou melhor, das baladas, pela mesma razão. Me nego terminantemente a sacudir em casas de forró ou algo semelhante. Cresci, sabia? E fiquei mais exigente.

Ainda bem que não perdemos a forma alegre de ver as coisas do Brasil. E, neste momento, pego carona do Correa Neto, que tão bem resumiu, nos idos de 2002, a evolução da música brasileira.

EVOLUÇÃO" DA MÚSICA BRASILEIRA
A coisa é séria -

Década de 10: O
rapaz de terno, colete e cravo na lapela, embaixo da janela dela, canta: "Tão
longe, de mim distante, onde irá, onde irá teu pensamento? Quisera saber agora
se esqueceste, se esqueceste o juramento. Sabe se és constante, se ainda é meu
teu pensamento e minh'alma toda de fora, da saudade, agro tormento!"

Década de 20: Ele, de terno branco e chapéu de palha, embaixo do sobrado
em que ela mora, canta:"O linda imagem de mulher que me seduz! Ah, se eu pudesse
tu estarias num altar! És a rainha dos meus sonhos, és a luz, és malandrinha,
não precisas trabalhar."

Acompanhe o resto do texto e complete o pensamento.
Postar um comentário

Obrigada pela visita

Espero seu retorno