sexta-feira, dezembro 01, 2006

Artes & artes


Eu não entendo artes plásticas. Aliás, não entendo de artes para fazer avaliações e, muito menos, crítica. Mas, como a ignorância é mãe da pretensão e permite, como toda mãe, deixar os filhos crescerem, eu vou comentar o que tenho visto por aí.

Lembro quando iniciava no jornalismo, completamente verde de tudo e recebia pautas para cobrir o cotidiano. Com apenas o nome da exposição(não lembro, por favor, não me cobre) fui topetudamente 'a exposição de artes plásticas.

De cara, me deparei com cerca de 10 metros de plástico transparente, estendido no teto com alguns furos de onde saíam lentamente, grãos de areia. Demorei um tempo, busquei no arquivo da mente o que poderia sair dali. Um pouco mais a frente, baldes cor de laranja, balançavam presos a um fio invisível e que também deixavam cair aos poucos, gotas de água. Consegui atravessar a criação e um pouco mais a frente, pneus amontoados uns sobre os outros. Um pouco mais adiante, pendiam do teto, inúmeros rolos de papel higiênico, harmonicamente soltos, leves.

Eu nunca saí tão frustrada de um lugar. Fui enfrentar o chefe de redação. Supliquei compreensão para algo que não compreendia. Ele, bem mais escolado, salvou-me: Cite a exposição, nomes dos expositores, local, você sabe... Ele falava do básico: o que, quando, onde, como, por que? Respondi quatro questionamentos, porque o último, até hoje não saberia responder.

Eu tenho muito respeito pelo artista. E foi por esse sentimento, que me omiti. E com o correr do tempo o refúgio em outras pautas, acabei deixando a intenção de estudar artes. Como lamento não ter buscado ir além da inspiração.
Postar um comentário

Obrigada pela visita

Espero seu retorno