domingo, fevereiro 11, 2007

Beleza, segundo Joana




"Reserva um breve espaço de tempo entre os teus deveres para a beleza.

Desperta cedo, a fim de acompanhar o nascer do dia, embriagando-te com a
pujança da luz.

Caminha por um bosque, silenciosamente, aspirando o ar da Natureza.

Movimenta-te numa praia deserta e reflexiona em torno da grandiosidade do
mar.

Contempla uma noite estrelada e faze mudas interrogações.

Contempla uma rosa em pleno desabrochar...

Detém-te ao lado de uma criança inocente...

Conversa com um ancião tranqüilo...

Abre-te à beleza que há em tudo e adorna-te com ela."


[Joanna de Ângelis]


Pois é, isto é a beleza, que tanto reclamamos, buscamos em frente ao espelho...


Na sala de cirurgia;


Nas praias lotadas e sol escaldante com olhos semi-fechados por conta da claridade...


Mente embotada pelo álcool


Esquecidos do verde das árvores que purificam o ar, plantadas e replantadas nas avenidas de chão preto...


Nas salas, onde conversar é proibido porque a estória da médica Helena, que escondeu a filha da outra, tem problemas de consciência...


Nos quartos solitários, janelas fechadas para não entrar muriçoca, barrando o céu de estrelas loucas por um olhar humano...


Nos presídios, onde o infinito do céu se confunde com a sentença e o homem goza de um prazer estranho, alimentado na vingança...


Enquanto isso, aumentamos os gastos com os produtos da cosmética. Ilusão nossa. A beleza não se mascara.

Postar um comentário

Obrigada pela visita

Espero seu retorno