terça-feira, abril 24, 2007

Vai passar


Não me perguntaram, também não sou artista, faço arte primitiva ainda para uma mídia que se esforça na timidez do pensar. É claro que é crítica! mas, não chega a tanto...


Ninguém quis saber porque não estou agora prontinha para ir à SiaráHall (nem sei porque o nome é este) ver Chico Buarque um dos maiores compositores que o Brasil já teve. Nenhuma dúvida quanto a isso.


Chico Buarque é o único compositor nacional que me faz buscar o genitor para entender a palavra usada por ele na música. Acredito que na noite de hoje e de amanhã al casa noturna deveria abrir para todos os que se dizem músicos, para entender e compreender o que é viver alguns minutos com ele.


Não irei ao show, razões monetárias. Não estou com essa bola toda e sem nenhum pingo de remorso, nem mesmo quando me indicaram que esse poderia ser o último show aqui na Terra do cantor e compositor Chico Buarque. Aos fãs desvairados, digo, já passei momentos incríveis ao lado dele.


Cresci acompanhando-o. Sorvi deliciosamente o aprendizado acadêmico, interpretando trechos de Mulheres de Atenas. Aprendi a questionar sobre a mutante sociedade e o que será? Descobri-me escandalosa em Geni e o Zepelim e, melhor ainda, de que tudo vai passar e que apesar de você, amanhã há de ser outro dia.


Como a fã pernambucana faço muito mais que mostrar o seio. Abro o peito para servir de moldura na beleza da arte. Deixarei lágrimas fluirem na comoção de momentos muito mais meus do que dele. Porque tenho minhas razões e a interpretação individual de cada palavra escrita e assinada por Chico Buarque.


Não me importa o que vai na sua cabeça, mas o que tenho em mente. A música - a verdadeira - é a sintonia com o Divino. E graças a Ele, os nossos talentos servem para auxiliar o crescimento da auto-estima.


Eu lhe rendo graças, Chico. Bem-vindo à Terra para nos mostrar que talento é muito mais que ter olhos azuis.
Postar um comentário

Obrigada pela visita

Espero seu retorno