sexta-feira, novembro 23, 2007

À flor da pele


Nós mulheres, a despeito da profundidade com a qual costumamos despir os sentimentos, gostamos demais de roupas diferentes. Quer dizer, num tempo passado, porque hoje muitas de nós quando quer aparecer, ser notícia, tira tudo, menos a maquiagem.


Não sei quando começou, mas depois que o nu virou arte, substituiu a inspiração, os atores tiram a roupa, com o argumento de que a arte merece sacrifícios. Mas, no fundo, nós sabemos que na arte da sobrevivência, não é preciso despir o corpo, mas a alma.


Lamento pela geração de hoje, que permanece na superficialidade, fazendo caras e bocas e só porque aparece na telinha, é celebridade. Lamento também pelos bons produtores, constrangidos a acenar a cabeça com um sim, diante da crise instalada.


Tudo isso é para reclamar do apelo da Globo, que atropela arte e artistas, que sente na pele o quanto falta ainda a mostrar do que pode, do que tem.
Postar um comentário

Obrigada pela visita

Espero seu retorno