quarta-feira, novembro 21, 2007

Qual foi o crime da Eva?


O "crime" de Eva não prescreveu ainda? Esta pergunta, é no mínimo, exorbitante. Sim, porque exorbita qualquer tipo de manifestação contra os gêneros que somos. As manifestações são punidas, contudo, o que cabe aqui é o sentir. Mesmo que calemos a voz, o sentimento contrafeito existe, vai continuar existindo.


As reprimendas civis coibem a manifestação, mas a gente aprende quando? A figura Eva, que personifica a mulher no mundo, é usada, convencionalmente, contra o jeito feminino de ser. Não me surpreendi com as declarações do juiz Edílson Rumbelsperger Rodrigues , também não vou aqui ser pretensiosa a ponto de julgá-lo. O que pertine, como já disse, é o sentimento nosso, conosco, convosco.


Sou o que alimento na alma, insisto na mente. Sei que por muitas vezes, o super-ego cochila e despacho sem preocupação o meu sentir, o pensar. Por esta razão, sempre desperto o querer da mudança, do fortalecer na fé de que tudo passa. E nós, passageiros dessa nave, pegando atalhos para alongar o caminho.
Postar um comentário

Obrigada pela visita

Espero seu retorno