quinta-feira, março 27, 2008

Cobre, mas dê crédito para o devedor


Qual a sua maior dificuldade no convívio, no cotidiano com as pessoas próximas ou distantes de você? Como se comporta diante das cobranças do tipo, olha, se fosse comigo, faria assim.


Antes, quando não entendia o recado chegava a ficar mais irritada do que hoje. Isso, porque quem mais tempo fica comigo sou eu mesma. E dá para conviver tão próximo com alguém que te cobra sistematicamente?

Pois é, o cobrador não se dá conta de como cobramos de nós mesmos. E haja credores para tudo quanto é lado. O difícil é chegar ao consenso e ao podium cantando vitórias. Não queira me mudar, nem eu consigo! O apelo não é ouvido e continuamos constrangidos a nós mesmos, numa busca incansável de escapar do crivo.

Ainda bem que existem as pausas entre as guerras. Nada de louros para as vitórias porque a guerreira aqui tem um longo caminho a percorrer. Enquanto isso, é bom pegar atalhos buscar parcerias, sem deixar o outro de lado. Afinal, a gente precisa amar a pessoa real e não a que projetamos.
Postar um comentário

Obrigada pela visita

Espero seu retorno