quarta-feira, março 05, 2008

Embriões ainda


Tudo o que fazemos é regrado. Ou melhor, é consentido porque tudo nesta vida é concessão. Portanto, vejo com reticências o avanço científico. Até onde o homem quer ser Deus. Se deve levar ao pé da letra o que o Mestre em outra oportunidade entre nós, disse: vos sois deuses - numa alusão de que a promessa universal fatalmente se concretizará.


Ainda sem ter a noção exata do que venha a ser Deus, nós humanos, neste Planeta consentido, estamos tentando pular as etapas, queimando as chances de reconhecimento futuro sem abalos morais. Devido a isso, nos dividimos em controvérsias múltiplas. Ser ou não favorável a pesquisas que invadem a Criação, que mutilam o homem, tudo em nome da salvação de nós próprios.


No quesito salvação, penso: seria o corpo a ser salvo, o reduto de todos nós, um apelo inconteste? Nas questões morais somos embriões ainda. Questionar se um embrião congelado é vida, é duvidar do próprio criador. É negar-se sempre. Também não podemos nos fechar diante da porta larga da ciência. Afinal, a inteligência do cientista também é uma concessão. Assim como livre arbítrio que o dirige em suas investidas cautelosas.

Postar um comentário

Obrigada pela visita

Espero seu retorno