quinta-feira, abril 24, 2008

Dormir para acordar

Dormir e depois acordar. Um ato simples para os encarnados, mas para quem sai do corpo, como seria?

O pensar palpita ansioso sempre que alguém próximo tem problemas coronários. A gente sempre acha que tudo vai continuar funcionando normal, até que um dia...

Penso que a dor física seria fácil de esquecer. E se não for?

Para quem dói mais? Para quem parte ou para quem fica?

Mirando os trilhos dos caminhos, perco - me na paisagem de tantas idas e vindas que pratiquei.

Parece que a ausência física facilita. Seria?



Postar um comentário

Obrigada pela visita

Espero seu retorno