terça-feira, abril 29, 2008

É pra você


A Justiça está averiguando denúncias dando conta de que o uso contínuo do celular causa danos à saúde. Enquanto não se chega a um resultado científico, já percebi que o celular faz mal.
Nada mais desagradável do que interromper um bom papo porque a pessoa que antes lhe dava ouvidos fica presa ao aparelho, num indicativo de que o papo do outro lado, é bem melhor do que o seu.

O toque insistente do celular durante uma palestra também é insuportável. Principalmente na bolsa de mulheres - no modelo de hoje, enorme - o toque insiste enquanto mãos aflitas buscam o barulhento. E a culpa não é da tecnologia, considerando que o aparelho pode ficar mudo ou vibrar. Não sei o que ocorre com os portadores dos celulares.


Por força do trabalho uso dois. Contudo, quase sempre estão em silêncio porque o de uso particular só as pessoas mais próximas e membros da família têm o número. O do trabalho é mais usado para chamar os colaboradores.


O aparelho, o qual ninguém consegue mais viver sem, foram treinados para tudo. Tornou-se um escritório, considerando que podemos atualizar até blog, caso queiramos. Já assisti a alguns casos interessantes com o celular sendo o protagonista.


Numa tarde em que assistia a um congresso, o palestrante conseguia nos fazer calar com o seu discurso envolvente. No meio da platéia, o toque irritante. A pessoa portadora não conseguia fazê-lo calar. Nesse ínterim o palestrante foi enfático : Se for para mim, estou ocupado. Sensacional, pensei.


Num outro congresso, o palestrante que nos enriquecia com seus conhecimentos declarou confiante: O celular é uma invenção de Deus a serviço do diabo. Nada mais providencial, concordei.


Conheço pessoas que são tão dependentes da criação, que numa conversa que deveria durar pelo menos 30 minutos, 15 foram gastos no celular. E eu, ali com cara de tacho, lembrando com saudade do telefone da vizinha bondosa que gritava para os mais próximos de sua casa: Fulano, telefone pra você.
Postar um comentário

Obrigada pela visita

Espero seu retorno