quarta-feira, setembro 16, 2009

Zé versus Abel


Os "galhudos" têm lá seus charmes e dão um Ibope danado. O personagem vivido pelo excelente Armando Bogus, na novela Pedra sobre Pedra de 1992, o Grande Zé, como era apontado pelo retratista Jorge Tadeu(Fábio Júnior), foi a bola da vez no Brasil.


Sempre se ouvia nas ruas alguém ser chamado assim e, logo gerava uma briga incentivada pela gozação. Botar chifre pode até ser engraçado, dar graça, mas para quem leva... Que o diga o Grande Zé que nem o seu ofício de medalhista lhe salvava a pele.


O Abel, (Caminho das Índias) corretinho na faixa de pedestre foi atropelado pela fogosa mulher que também conquistou o público. À base de leitinho temperado "Abelzinho" calmamente era conduzido para o mundo dos sonhos, onde ele poderia sair em busca da mulher ideal. Seria essa a razão para que continuasse tomando o líquido bem preparado pela maquiavélica?


A história vai se repetir até que o homem e a mulher aprendam a viver respeitando o companheiro (a). Se depender de Norminha, que ontem fundou uma ONG Norminhas do Amanhã, ainda teremos muitos personagens para reverenciar.

Beba, beba, beba...

terça-feira, setembro 15, 2009

Tudo é Tv


Flagro-me amando a TV! Gente,não é incrível? Mas,quem disse que eu não gosto da telinha? Se violência no noticiário estarrece, e como não gelariam as minhas veias com a presença íntima de uma arma na testa?


Sendo assim, rendo-me ao controle remoto e recostada aos travesseiros, durmo com a TV e acordo com os gritos dos personagens dos filmes.


Continuo pagando canais de TV. Triste esse pacote que me custa mais de R$ 100 por mês. Pois não é que a novela principal da Globo tá melhor? Já, já estarei cancelando o tal pacote que desafia a minha tolerância há tempos... Sabe por que ainda não cancelei o contrato? Porque a imagem está uma beleza... apenas isso.


Bato palmas para a qualidade de imagem da novela que estreou ontem e não nego que assisti num restaurante o último capítulo de Caminhos da Índia. E chorei... lágrimas estimuladas pela dor estampada em Juliana Paes. Como ela sabe sofrer.




Obrigada pela visita

Espero seu retorno