quinta-feira, novembro 26, 2009

Estatutar



Quando li sobre o Estatuto do Homem acreditei ser para todas as criaturas pensantes do Planeta. Não viriam estatutos outros como da Igualdade racial, por exemplo.

Nós temos tanta carência de compreensão que esquecemos as diferenças das ações. De uma coisa, o pensar muitas vezes aflito já cismou: a igualdade só esta distante porque insistimos em sermos diferentes, negando oportunidades, inclusive da informação.

Quem disse que a minha cor amarelada, desbotada precisa de uma legislação? A compreensão é bem outra.

terça-feira, novembro 24, 2009

Sem violência

O dia internacional da não violência contra a mulher será lembrado amanhã. Cismo o pensar e vejo que a situação feminina é bem diferente da condição mulher.Hoje, nós estamos diferentes porque vemos as oportunidades surgidas, a partir do momento que decidimos por isso.

Sair da condição submissa e bater pé no mercado de trabalho acelerou a concorrência nossa contra o tempo. Enquanto ganhamos dinheiro e pagamos as nossas despesas e respondemos por nossos filhos, aumentamos a cobrança íntima da insatisfação materna. Porque ser mãe é ter tempo para ver a família mais perto e conciliar sentimentos.

A mulher vence empecilhos na sociedade, mas continua presa ao peito que dá o leite ao filho. Mas, é possível parir e iluminar a mente dos meninos e meninas nossas envolvendo-as com o amor que não há tempo que elimine e não há oferta promissora de cargos que o extinga.

Nós mulheres só ainda não conseguimos ver o mundo masculino como é e, muito menos, nos fizemos ser vistas no interno mundo feminino.

Obrigada pela visita

Espero seu retorno