quinta-feira, fevereiro 25, 2010

Sem imagens

Construí este blog para expressar o pensamento. Dar voz ao pensar. E muitas vezes - confesso - que tomo susto quando libero as comportas do aglutinado que tenho no cérebro. A facilidade com a qual escrevo, flui certas opiniões(ou seriam conhecimentos) sobre mim, que nem sempre percebo.

Estava agora cismando o flagrante de ser extremamente intolerante. Como isso doi! A cabeça ferve diante do que penso ser injustiça. Mas, é o meu sentir, todo meu, que mesmo que alguém da convivência queira experimentar, jamais saberá o gosto real alimentado pela minha bagagem de experiências.

O que mais me deixa incrivelmente intolerante é o desrespeito à condição humana. Por que será que tantos me subestimam e por que outros tantos me superestimam?
Postar um comentário

Obrigada pela visita

Espero seu retorno