sexta-feira, março 26, 2010

Crucis

Apesar de ser espírita desde a década de 90, não estou indiferente aos feriados religiosos, principalmente quando a figura central é o Mestre Jesus. Modelo para a humanidade, irradia a energia pura, que a densa camada que nos envolve não permite penetrar-nos plenamente.

A Semana Santa me faz lembrar o muito dos equívocos nossos, as promessas de redenção, as quais deletamos da mente turva. O meu jugo é leve - promete - mas aqui na Terra, nós optamos diariamente pelo serviço árduo, pelas angústias, pela morte do corpo físico.

Nada me comove mais do que a Via Crucis de inúmeras crianças e adolescentes que optaram - sem saber o porquê - pela pedra que mata. E nada mais me assustam do que as declarações de muitos deles com relação à vida. Esquecem que somos o conjunto de energia conduzida por uma energia bem maior.

Nós terrenos, estamos cada dia mais doentes, lançando rejeição aos dependentes. Mais um equívoco. O uso de drogas é público, assim como é pública a saude, mas nem por isso é comum a todos.
Postar um comentário

Obrigada pela visita

Espero seu retorno