segunda-feira, março 29, 2010

Violência

Confesso que resisti para evitar o assunto porque é doloroso. Contudo, depois de um dia e meio de molho na cama acometida por uma sinusite e com o controle da TV na mão, como não ver as matérias sobre o caso Nardoni?

Assisti sentindo dores - eram físicas e morais - o choro da mãe da garotinha, dos pais dela, os avos maternos e também a dor dos avos paternos. Encolhida no quarto e engolindo os sustos da tragédia, percebi que a TV não só nos aproxima dos fatos, joga na nossa cara os respingos da violência.

A reportagem cobriu tudo, irrestritamente até o que não tinha permissão, mas ninguem até agora disse exatamente o por quê. Essa pergunta angustiante nos persegue desde a mordida da maçã.

A violência nos assombra em todos os pontos do Planeta, ecoa porque está em nós. Em alguns, domada pela educação, noutros, solta, sem freios.

Hora de respirar fundo, porque sobrevivemos.
Postar um comentário

Obrigada pela visita

Espero seu retorno