quarta-feira, agosto 04, 2010

Etapas do amor

Quando menina precisava do amor proteção.

Adolescente apostava no frio na barriga, no coração aos saltos.

Mulher feita absorvia a ansiedade de um sentimento profundo, arrebatador.

Madura, aceitando a calmaria da resignação de que é necessário amar sem que dependa da pessoa. É o amor cantado por Mário Quintana. Mas, a percepção foi exclusivamente minha.

Quando a velhice chegar quero aprender a amar-me para esparramar esse sentir sem dores no mundo.
Postar um comentário

Obrigada pela visita

Espero seu retorno