domingo, setembro 26, 2010

Garras

Estava lembrando os apelidos que costumamos ouvir quando criança. Neste periodo da vida somos tão leais aos nossos sentimentos que chega a ser cruel. Ainda bem que a gente cresce e freia esse manifestar intenso. A ideia era ser engraçado, no entanto, quando a piada apenas faz rir o autor, o momento exige reflexão.

Em casa, por conta do cabelo grande, era chamada de cabeluda e quando defendia os meus interesses de onça. Ficava igual ao animal, super braba. Pelo menos era assim que o via.

No entanto, hoje, a definição não me feriria. A felina linda, tem garras, liberdade de uma selva verde e nada fez que se arrependesse.
Postar um comentário

Obrigada pela visita

Espero seu retorno