quinta-feira, maio 27, 2010

Lei do amor está em vigor

Estava ouvindo uma canção em que o cantor repetia sem constrangimento é preciso amar, é preciso amar indefinidamente. Pensei incomodada, será que faltou letra mesmo, inspiração para o compositor? Depois quando finalmente, a música terminou, cismei que a evocação do músico é um mantra.

Outro discurso cutuca o cérebro, é um deputado cobrando leis rígidas para conter a violência. Veio à lembrança imediata da frase mais repetida entre nós e também esquecida Ame o próximo como a ti mesmo. A Lei do amor, universal, acessível, democrática, ininterrupta.

quarta-feira, maio 26, 2010

Informação

Descobri porque gosto tanto deste espaço. Escrever na Internet é como trabalhar em rádio. Você quase que aparece, ou pelo menos, nem tem ideia de quem vai ler(ouvir) os seus escritos. Só que aqui permito-me despejar o pensar sem a preocupação de estar torto.

O texto do rádio depende de mais atenção e muita, muita cautela para não borrar a notícia. Digo sempre que quando não informamos, desinformamos.

terça-feira, maio 25, 2010

Invenção

Estava cismando o pensar sobre criação e invenção. Ou seria invencionice? Criação vem sempre  lá de cima, o importante aqui é saber de que lado estou.

 Invenção sou eu criando necessidades outras das quais nem preciso. E por que invento?
 Ora, é a mente prolixa ao invés de profícua... Só sei que quando as invenciones me ocupam, mato a criatura.

Obrigada pela visita

Espero seu retorno