sexta-feira, março 25, 2011

Despeitada

A despeito de qualquer definição que eu possa fazer sobre mim mesma, admito o despeito. Tentando seguir o conselho de conhecer a si mesmo, o meu self é revelador. Sempre foi. Eu que não dava ouvidos e cerrava os olhos diante do filme da vida em exibição sem dar crédito à direção.

O despeito é o resumo do que o espelho da mente reclama luz para refletir em mim a sobrecarga das emoções negativas. Eu sempre subestimei as minhas qualidades para dar vazão aos talentos orientados por superestimadas negligências.

O diabo que o outro que não me conhece, consegue despertar com suas críticas, exatamente o que pretendo expelir sem recuos: é por isso, que de vez em quando o pensar lateja você sabe com quem está falando.


Postar um comentário

Obrigada pela visita

Espero seu retorno