quinta-feira, abril 26, 2012

Certas pessoas

A relação com certas pessoas é como aquele livro, que apenas deitei um olhar sem curiosidades, por não prometer surpresas. A vida precisa desses estímulos.

É como um corte novo no cabelo, uma cor mais clara, mesmo sabendo que o branco vai lembrar as pratas, que apostei no caminho nem sempre tortuoso, nem sempre reto.

A intimidade com certas pessoas não passa do quarto, porque ao chegar à sala é como se fosse uma despedida de alguem, que te oferece algo, que você sabe não necessitar.


A despedida de certas pessoas é como um naufragar na melodiosa saudade dos que acreditam, que amor precisa doer. Com outras, é como ganhar um par de asas. Exige esforços, mas se consegue continuar respirando, oferecer ao vento a sorte de um espaço infindável a conquistar.

terça-feira, abril 24, 2012

Fantasias -

Estou com inscrições abertas para o edital que a vida ensina. Não há restrição para os candidatos que se habilitem a conviver com as minhas gargalhadas; noias, neuras, liseira, otimismo, fantasias.... ah! sem elas, o que seriam das minhas manhã coloridas?

Há quem sonhe à noite, eu prefiro imaginar paisagens em dias claros, ventilados e absolutamente promissores, com o sol no alto, sabedor de sua fundamental participação na vida. O sonho é a realidade latente, como semente louca por um solo fértil (mente feminina) para explodir.

A noite prefiro caminhar, pés descalços na languidão do corpo cansado, cheiinho de vitalidade, apesar do morno movimento. No entardecer, agarro-me às horas do chá britânico. Aposso-me da ideia de que a escuridão noturna não se dissolve com a luz do homem.

Obrigada pela visita

Espero seu retorno