terça-feira, setembro 03, 2013

Profundidade

Eu não sei nadar.

Deve ser por isso que vou sempre ao fundo de tudo. Nas relações, no trabalho...

De vez em quando penso como seria se ficasse vez por outra na superfície... boiando na inércia, no tal "deixa a vida me levar..."

Percebo que sempre quis o controle e, com isso, me descontrolo.

Mas, ter fé não é olhar pro ceu e ficar esperando o maná. É preparar a vasilha para o doce que está pra vir.

É cair na vida, ralar nas escadarias. No patamar onde cheguei subi de joelhos.

Mesmo assim, gosto de me largar no espaço porque sei que sempre haverá um chão para apoiar.

Obrigada pela visita

Espero seu retorno