terça-feira, novembro 19, 2013

Saudade

Hoje estou saudosa de uma saudade que não doi.

Só me faz lembrar com muita exatidão o que vivo, vivi.

Bato palmas para os aniversários dos momentos que mais mereceram a minha atenção: as dores.

Aperto as mãos e aceito os abraços do conforto vindos de tantas direções... até mesmo das que ignorava.

Debruço o dorso para cumprimentar quem sempre está comigo e dou saltos longos, altos para lembrar o rastejar da pena para libertar-me das tempestades.

Nada é mais calmo do que um dia sem temporal de ideias e imagens negativas.

Obrigada pela visita

Espero seu retorno