sexta-feira, abril 21, 2006

Retornando

Ter dois blogs não é fácil. E quem disse que seria? Mas são tantas idéias. Há tanto o que dizer... Se fosse contar as vezes que a minha boca aberta se calou. Falo pelos dedos e dou folga aos cotovelos. Livre maneira de pensar é quimera! Estou em busca do que mais se fala. Gosto das letras, das palavras formadas. Trabalho nelas, sobrevivo delas. Não obstante, há tantas quantas irritáveis. Gostaria de saber quem começou a usar a palavra evento. Lê-se é vento. Uma irritante ventilação na literatura, nos artigos, na falação do dia-a-dia e agora aqui também!!! Realmente, tenho tentado evitar o uso da tal palavra. Mas, desta vez resolvi enfrentá-la. Saí em busca da eventualidade. Vamos 'a origem: do latim eventu, onde - dentre os conceitos apresentados - podemos adotar a expressão acontecimento. Acontecer, por sua vez, vem do latim contigescere, ou seja, ser ou constituir fato de importância na vida social ou em outros âmbitos. Esta é a razão apontada pelos criadores do site www.sexymidia.com, para trabalhar Evento "como iniciativa que tenha o objetivo de reunir pessoas para finalidades diversas, tais como: comemorações, festividades, intercâmbio de conhecimentos & experiências, troca de informações, etc.. Portanto, dada a abrangência do termo, evento pode ser uma simples Reunião de Negócios ou, até mesmo, um amplo Congresso Técnico & Científico." Do site http://revistaturismo.cidadeinternet.com.br/ capturei o que se segue: " A origem da palavra eventos vem do termo eventual, o mesmo que casual, um acontecimento, que foge à rotina e sempre é programado para reunir um grupo de pessoas (CAMPOS, WYSE & ARAÚJO, 2002). De acordo com dados do Sebrae, acontecem, anualmente, no país mais de 330 mil eventos, envolvendo 80 milhões de participantes, o que resulta na geração de cerca de 3 milhões de empregos diretos, terceirizados e indiretos. Nos último 10 anos, o setor cresceu cerca de 300% no país (GONÇALVES, 2003) e a tendência é de permanente crescimento, uma vez que a chamada globalização, além de mudar as características da economia mundial, encurtou distâncias, aproximou povos e culturas. O destaque para o desenvolvimento do setor não é sem fundamento, pois, de acordo com Oliveira (2000), o turismo de eventos é o segmento mais disputado pelos países, porque nestas ocasiões os produtos turísticos são vendidos por atacado, já que o turista de eventos hospeda-se por longas estadas, devido à duração do acontecimento, e contribui para a arrecadação local: freqüenta shoppings, cinemas, teatros, bares, restaurantes, etc. Além de ser um bom negócio para os locais receptivos, esse tipo de turismo independe dos fatores climáticos. O mercado, para os profissionais da área, mostra-se promissor, já que eventos são realizados com as mais diversas finalidades: para comemorar, expor, divulgar produtos, etc; e, até mesmo, como estratégia para o desenvolvimento turístico de um município ou minimizar a sazonalidade nos estabelecimentos de hospedagem. Os Eventos e o Mercado. O evento é muito mais do que o planejamento, a programação, a execução e o monitoramento de uma seqüência de atividades destinadas a um público específico e realizadas em local apropriado. O evento deve ser pensado como uma atividade econômica e social que gera uma série de benefícios para os empreendedores, para a cidade promotora, para o comércio local, restaurantes, hotéis e para a comunidade (BRITTO & FONTES, 2002). " Um trecho explicativo sobre informática define eventos "como ações que necessitam de estímulo para acontecer. Quando o usuário clica em um botão interface, o seu site irá realizar uma série de operações para responder 'aquele estímulo( www.mxstudio.com.br)." O evento ainda é uma “unidade semântico-discursiva, constitutiva do episódio, que corresponde a um centro de interesse [nos termos de Chafe, 1980] que contém ações/estados com graus variáveis de integração, governados por um subtópico global” (p. 69-70) ( www.filologia.org.br), texto monografia de EPISÓDIO E EVENTONA ORGANIZAÇÃO TÓPICA DA CONVERSA INFORMAL, de Sandra Bernardo (UERJ/PUC-RJ). Existem ainda outras informações a respeito da palavra em questão, do que ela se propõe e dos profissionais que com ela interagem. Há mais ainda a saber e sugiro o site www.netstudio.com.br. E quer saber agora o que acho? que tudo há uma razão de ser. Esta é a minha convicação do momento. Você toparia realizar um encontro, conversar comigo, ler mais um texto meu, um..... evento? Ih!!!
Postar um comentário

Obrigada pela visita

Espero seu retorno